icone facebookTwitterInstagram

Hospital Infantil Joana de Gusmão comemora a alta hospitar do adolescente Abrhaão Evangelista Barbosa, 10 anos. O paciente ficou internado por 7 dias, sendo 4 deles na Unidade de Terapia Intensiva. 

Ele apresentou uma síndrome rara, grave e potencialmente fatal associada ao novo coronavírus (SARS-CoV-2) e que pode acometer crianças e adolescentes saudáveis, denominada Síndrome Inflamatória Multissistêmica Associada ao Covid-19 (SIM-C).

Abrhaão, morador da Palhoça, é o segundo paciente com esse diagnóstico que recebe alta recuperado no Hospital Infantil da capital.

Esta grave doença foi descrita inicialmente no Reino Unido, Espanha, França e Estados Unidos da América e seus sintomas se assemelham a outras situações relativamente raras (Síndrome de Kawasaki e Síndrome do Choque Tóxico), a saber: febre alta e persistente, manchas pelo corpo, conjuntivite, inchaço em mãos e pés, dor abdominal, vômitos e diarreia, sendo grande parte dos casos sem sintomas respiratórios.