icone facebookTwitterInstagram

SÉRIE HISTÓRICA METAS DOS INDICADORES 2016
Conforme Resolução CIT nº 2, 16/08/2016

 

 

PROPOSTA DE METAS PARA 2016

Diretriz 1 - Ampliar e qualificar o acesso aos serviços de saúde de qualidade, em tempo adequado, com ênfase na humanização, equidade e no atendimento das necessidades de saúde, aprimorando a política de atenção básica, especializada, ambulatorial e hospitalar, e garantindo o acesso a medicamentos no âmbito do SUS.

       Indicador 01 - Cobertura de acompanhamento das condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família.

       Indicador 02 - Proporção de exodontia em relação aos procedimentos.

Diretriz 2 - Aprimorar as redes de atenção e promover o cuidado integral às pessoas nos vários ciclos de vida (criança, adolescente, jovem, adulto e idoso), considerando as questões de gênero e das populações em situação de vulnerabilidade social, na atenção básica, nas redes temáticas e nas redes de atenção nas regiões de saúde.

       Objetivo 2 - Aprimorar e implantar as Redes de Atenção à Saúde nas regiões de saúde, com ênfase na articulação da Rede de Urgência e Emergência, Rede Cegonha, Rede de Atenção Psicossocial, Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, e da Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas.

       Indicador 03 - Proporção de acesso hospitalar dos óbitos por acidente.

       Indicador 04 - Proporção de óbitos nas internações por infarto agudo do miocárdio (IAM).

       Indicador 05 - Razão de exames citopatológicos do colo do útero em mulheres de 25 a 64 anos e a população na mesma faixa etária.

       Indicador 06 - Razão de exames de mamografia de rastreamento realizados em mulheres de 50 a 69 anos e população da mesma faixa etária

       Indicador 07 - Proporção de parto normal no SUS e na saúde suplementar.

       Indicador 08 - Cobertura de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

       Objetivo 3 - Promover o cuidado integral às pessoas nos ciclos de vida (criança, adolescente, jovem, adulto e idoso), considerando as questões de gênero, orientação sexual, raça/etnia, situações de vulnerabilidade, as especificidades e a diversidade na atenção básica, nas redes temáticas e nas redes de atenção à saúde.

       Indicador 09 - Taxa de mortalidade infantil.

       Indicador 10 - Proporção de óbitos maternos investigados.

       Indicador 11 - Proporção de óbitos de mulheres em idade fértil (MIF) investigados.

Diretriz 3 - Reduzir e prevenir riscos e agravos à saúde da população por meio das ações de vigilância, promoção e proteção, com foco na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, acidentes e violências, no controle das doenças transmissíveis e na promoção do envelhecimento saudável.

       Objetivo 4 - Reduzir e prevenir riscos e agravos à saúde da população, considerando os determinantes sociais, por meio das ações de vigilância, promoção e proteção, com foco na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, acidentes e violências, no controle das doenças transmissíveis e na promoção do envelhecimento saudável.

       Indicador 12 - Número de casos novos de sífilis congênita em menores de um ano de idade.

       Indicador 13 - Taxa de mortalidade prematura (de 30-69 anos) por Doenças Crônicas Não Transmissíveis – DCNT (Doenças do aparelho circulatório, câncer, diabetes e doenças respiratórias crônicas). Total de Óbitos Prematuros Valor Absoluto.

       Indicador 14 - Proporção de vacinas do Calendário Básico de Vacinação da Criança com coberturas vacinais alcançadas.

       Indicador 15 - Proporção de cura de casos novos de tuberculose pulmonar com confirmação laboratorial.

       Indicador 16 - Proporção de exame anti-HIV realizados entre os casos novos de tuberculose.

       Indicador 17 - Proporção de registro de óbitos com causa básica definida.

       Indicador 18 - Proporção de municípios com casos de doenças ou agravos relacionados ao trabalho notificados.

       Indicador 19 - Número de casos novos de aids em menores de 5 anos.

       Indicador 20 - Proporção de cura dos casos novos de hanseníase diagnosticados nos anos das coortes.

       Indicador 21 - Proporção de contatos intradomiciliares de casos novos de hanseníase examinados.

       Indicador 22 - Incidência Parasitária Anual(IPA) de Malária.
       Disponível somente para a Região Amazônica.

       Indicador 23 - Número absoluto de óbitos por dengue.

       Indicador 24 - Proporção de imóveis visitados em, pelo menos, 4 ciclos de visitas domiciliares para controle da dengue.

       Indicador 25 - Proporção de análises realizadas em amostras de água para consumo humano quanto aos parâmetros coliformes totais, cloro residual livre e turbidez.

       Objetivo 8 - Aprimorar o marco regulatório e as ações de Vigilância Sanitária, para assegurar a proteção à saúde e o desenvolvimento sustentável do setor.

       Indicador 26 - Percentual de municípios que executam as ações de vigilância sanitária consideradas necessárias a todos os municípios.

Diretriz 4 – Fortalecer o papel do Estado na regulação do trabalho em saúde e ordenar, para as necessidades do SUS, a formação, a educação permanente, a qualificação, a valorização dos trabalhadores e trabalhadoras, combatendo a precarização e favorecendo a democratização das relações de trabalho. Tudo isso considerando as metas de superação das demandas do mundo do trabalho na área da saúde estabelecidas pela Década de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde, iniciada em 2013.

       Indicador 27 - Proporção de ações de educação permanente implementadas e/ou realizadas.

Diretriz 5 – Aprimorar a relação federativa no SUS, fortalecendo a gestão compartilhada nas regiões de saúde e com a revisão dos instrumentos de gestão, considerando as especificidades regionais e a concertação de responsabilidades dos municípios, estados e União, visando oferecer ao cidadão o cuidado integral.

        Indicador 28 - Proporção de Plano de Saúde enviado ao Conselho de Saúde.

Diretriz 6 – Garantir o financiamento estável e sustentavel para o SUS, melhorando o padrão do gasto e qualificando o financiamento tripartite e os processos de transferencia de recursos.

       Indicador 29 - Proporção de entes com pelo menos uma alimentação por ano no Banco de Preço em Saúde.