icone facebookTwitterInstagram

Com a presença do governador Eduardo Pinho Moreira e do secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, foi inaugurada a reforma e ampliação do Hospital Materno Infantil Santa Catarina, na manhã deste sábado, 1 de dezembro, em Criciúma. Trata-se de uma conquista esperada há mais de 20 anos pela comunidade do Sul, que agora conta com maternidade e hospital infantil no mesmo espaço. O investimento total passa dos R$ 5 milhões, sendo R$ 3,6 milhões provenientes do governo do Estado.
Nessa nova fase, a unidade passará a contar com 109 leitos, mais do que o dobro dos atuais 39. O Estado também assume o custeio do hospital, com repasses mensais de R$ 3,2 milhões, ajudando a desafogar o caixa da prefeitura de Criciúma.
Durante o ato de inauguração da nova ala, o governador Eduardo Pinho Moreira relembrou que atuou como médico na unidade há mais de 30 anos e que a entrega da ampliação representa um serviço importante para toda a região Sul.
“Essa foi uma conquista coletiva. Teve a ideia lá atrás e agora se concretiza porque houve a união do município, do Estado, das forças comunitárias e de todo mundo que defende a saúde pública de qualidade”, afirmou Moreira.
O governador ainda ressaltou que o hospital Santa Catarina passa a ser um referência no atendimento de gestantes de alto risco no Sul do Estado, o que contribui para que se aprofunde o processo de regionalização da saúde, com o objetivo de reduzir deslocamentos para que as pessoas sejam atendidas mais perto de seus domicílios.
O secretário Acélio Casagrande, que estava de aniversário no sábado, também ressaltou o trabalho coletivo que possibilitou a entrega do espaço. Em sua avaliação, a nova ala permitirá salvar vidas.
“É um sonho realizado, uma ação necessária dentro do processo de regionalização. Estamos trabalhando forte para levar os serviços onde existem vazios. Há 21 anos, quando a prefeitura adquiriu esse hospital, a sua concepção era de ser um hospital materno infantil e agora isso acontece. Vamos trabalhar de maneira forte com as cirurgias e salvar muitas vidas”, disse Casagrande.
Diretor da unidade, o médico Leon Iotti ajudou até mesmo na limpeza nos últimos dias para que a inauguração fosse possível. Ele diz que, como pediatra, sente o fechamento de um ciclo.
“Nós tínhamos nascimentos críticos, separando mãe e filho. A partir desse momento, com a inauguração da maternidade e a ampliação das unidades neonatais, isso não ocorrerá mais. Essa é a principal conquista”, diz Iotti.
O prefeito Clesio Salvaro ressaltou a parceria com o governo do Estado e disse que a vontade política do governador foi essencial para a conclusão dos trabalhos.
“Isso é um projeto de Estado, não de governo. A partir de agora, esse hospital passa a ser de fato materno, porque a maternidade não era aqui. É um hospital público para toda a macrorregião, e Criciúma tinha que ser protagonista”, afirmou Salvaro.
Como ficará a unidade
A partir de agora, o Hospital Materno Infantil Santa Catarina passa a contar com Clínica da Mulher, banco de leite e agência transfusional. O Banco de Olhos da Região Sul também faz parte da estrutura e já está em funcionamento, anexo ao hospital.
Com a ampliação, a unidade passa a ter 109 leitos, incluindo 25 na maternidade (alojamento conjunto para a mãe e bebê), três na UTI Pediátrica e 13 para UTI Neonatal.
A partir de agora, hospital funcionará como uma maternidade de alto risco, além de manter o pronto atendimento.
O hospital é gerido pelo Instituto Desenvolvimento Ensino e Assistência à Saúde (Ideas), qualificado como Organização Social em Criciúma.
eduardo_moreira_inaugura_reforma_e_ampliacao_do_hospital_materno_infantil_santa_catarina_20181201_1074145933.jpg
                                                                                                                                                   Foto: Maurício Vieira