icone facebookTwitterInstagram

Nesta quinta-feira, 17 de novembro, ações ocorrem em Santa Catarina, em função da conscientização do parto prematuro. O tema da campanha deste ano é “Garanta o contato pele a pele com os pais desde o momento do nascimento”.

O Hospital Regional de São José realizará um encontro para conversa e confraternização neste dia, às 16h,  com as mães de prematuros internados no alojamento conjunto e na UTI neonatal.

Em Joinville, na Maternidade Darcy Vargas, uma “caixa do tempo”, na qual profissionais escreveram cartas para pacientes e mães de bebês prematuros, foi preparada. Elas serão entregues no dia de hoje. Além disso, os servidores ganharão um almoço especial e botons pelo trabalho realizado no cuidado das mães e recém-nascidos. Ao longo do mês, a unidade também divulgará diversas informações sobre a prematuridade em suas redes sociais.

História

A data foi estipulada em novembro de 2008 e tem como objetivo alertar sobre o crescente número de partos prematuros, bem como preveni-los e informar a respeito das consequências do nascimento antecipado para o bebê, para sua família e para a sociedade. Ao todo, mais de 100 países unem forças para atividades e eventos especiais, no mês de novembro, com a finalidade de conscientizar sobre o parto prematuro.

O mês de novembro foi o escolhido para a alusão do problema e é também considerado o mês internacional de sensibilização para a prematuridade, sendo reconhecido mundialmente como “Novembro Roxo”, a cor que busca simbolizar a sensibilidade e a individualidade – características que são muito peculiares aos bebês prematuros.

Complicações de um parto prematuro

O parto prematuro, dependendo do período da gestação, pode representar um risco tanto para a mãe quanto para o bebê.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) lista abaixo algumas das complicações que podem levar à prematuridade:

– Infecções;

– Tabagismo;

– Descolamento prematuro da placenta;

– Diabetes gestacional;

– abertura do colo do útero;

– Miomas;

– Gravidez de múltiplos;

– Colo do útero curto;

– Partos prematuros anteriores;

– aumento da pressão arterial na gravidez;

– e outras alterações clínicas na gestante ou no feto.

É importante que exista acompanhamento médico e um planejamento familiar e pré-natal ordenado, para que o desenvolvimento do bebê seja assegurado, garantindo um parto saudável e sem risco.