icone facebookTwitterInstagram

O Governo do Estado assumiu o papel de protagonismo no combate à pandemia de Covid-19 desde o início da transmissão comunitária da doença em Santa Catarina, em março deste ano. A estruturação do Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes), que completa 150 dias de atividades neste domingo, 09, e a decretação de medidas rígidas de isolamento social, no dia 17 de março, marcam o início de um trabalho que vem sendo desempenhado até hoje.

Fotos: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Dessa maneira, o Governo do Estado manteve controle absoluto das medidas de combate até o início do mês de junho, quando se iniciou o processo de compartilhamento das decisões, regionalizando as definições com os gestores municipais, a partir de uma matriz de risco. O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, conta que a regionalização ocorreu por conta dos diferentes estágios de propagação dentro de Santa Catarina.

“Mantivemos um diálogo franco com os gestores municipais e com os setores produtivos, por meio do Grupo Econômico. O Estado jamais abriu mão do papel de protagonismo no processo. Fizemos um profunda reestruturação da nossa rede de leitos de terapia intensiva, com uma ampliação superior a 80% na oferta. Esse processo segue em andamento e garantiu, ao contrário do que aconteceu em outros lugares, que os catarinenses tivessem o atendimento necessário até aqui”, destaca Motta Ribeiro.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) também emitiu dezenas de notas técnicas, que embasam o trabalho diário no combate à pandemia em Santa Catarina. Além disso, o corpo de servidores da pasta desenvolveu seis ferramentas de análise de risco, que resultam na matriz de controle do coronavírus no Estado. Um trabalho que permite ao gestor municipal acompanhar com precisão a realidade da propagação da doença em cada cidade.

Segundo o Ministério da Saúde, nas últimas semanas o vírus tem se espalhado de maneira mais intensa pelas regiões Sul e Centro-Oeste, com Santa Catarina incluída neste cenário. Diante disso, todas as sextas-feiras o Governo do Estado tem publicado novos decretos restringindo algumas atividades nas regiões de saúde classificadas em situação gravíssima pela matriz de risco disponibilizada pela Secretaria de Estado da Saúde.

Outras atividades que concernem à atuação do Estado na pandemia incluem a regulação dos leitos de UTI, o que garante que pacientes sejam transportados para unidades de outras cidades em caso de necessidade. Além de viabilizar a habilitação dos novos leitos de terapia intensiva junto ao Governo Federal, de forma a garantir o custeio desse serviço.

É importante ressaltar que as aulas presenciais e a realização de eventos que gerem aglomerações, como shows e espetáculos, seguem proibidas. O secretário Motta Ribeiro também lembra que a matriz de risco regionalizada é colocada à disposição dos gestores municipais, sendo elaborada a partir de ferramentas de monitoramento da situação nas regiões. Participaram da elaboração diversos parceiros, como Ciasc, Social Good Brasil, entre outros. Ele ressalta ainda que o trabalho é avaliado diariamente pela equipe da Secretaria.

“O Estado está atento à evolução da doença em Santa Catarina e avalia os cenários para novas ações. Esse é um trabalho diário. Mas também necessitamos enfatizar a importância de que a população faça a sua parte, respeitando o distanciamento social, usando máscaras e fazendo a correta higienização das mãos. Para ganharmos essa batalha, é essencial que todos colaborem”, diz Motta Ribeiro.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
E-mail: imprensa@secom.sc.gov.br
Site: www.sc.gov.br