icone facebookTwitterInstagram

O Hospital Infantil Joana de Gusmão (HIJG), de Florianópolis, iniciou em maio uma nova etapa de organização interna devido ao declínio dos casos de Covid-19 e ao aumento de casos respiratórios em pacientes pediátricos envolvendo outros tipos de vírus sazonais.

WhatsApp Image 2022-05-16 at 17.44.14.jpeg

Foto: Bruna Borges/Comunicação HIJG/SES/SC

A partir de segunda-feira, dia 16, o HIJG desativa a Unidade Covid, que por dois anos serviu para internação de pacientes com resultado positivo para a doença, e reativa a Unidade C, com 9 leitos, voltada ao tratamento de pacientes crônicos. Com isso, as demais unidades abrem espaço para receber crianças que chegam na Emergência com necessidade de internação, o que tem superado qualquer previsão para esta época do ano. As taxas de ocupação no HIJG referentes aos meses de março e de abril de 2022 foram de 89,92% e de 93%, respectivamente, as maiores dos últimos quatro anos.

A Emergência, por sua vez, encerra o fluxo de separação na triagem entre pacientes com suspeita de Covid e não suspeitos. A decisão agiliza o processo de atendimento, sem deixar de cuidar das medidas para evitar o contágio, como uso de máscara por todos que entram no local.

Os pacientes com suspeita de Covid continuarão sendo separados no momento da internação, por meio de remanejamento entre quartos de isolamento das unidades D e E. Pacientes com suspeita de Covid somente dividirão o quarto com outros pacientes suspeitos.

Nos últimos 30 dias, o HIJG abriu mais 8 leitos de enfermaria no intuito de minimizar a lotação das unidades de internação. Da mesma forma, a Unidade D, que atualmente conta com 16 leitos, ampliará a capacidade para 20 vagas.