icone facebookTwitterInstagram

Florianópolis, 14 de setembro de 2016 

A Secretaria de Estado da Saúde lançou nesta terça-feira, 13, a segunda edição do Programa de Residência Médica em Medicina de Família em Comunidade. O programa oferece 64 vagas aprovadas pela Comissão Nacional de Residência Médica para alocação de residentes em 30 municípios. As inscrições podem ser feitas por meio dos sites da secretaria (www.saude.sc.gov.br) e da Associação Catarinense de Medicina (ACM), instituição parceira que elabora e aplica as provas, em www.acm.org.br. O salário inicial é superior a R$ 5 mil, e algumas prefeituras ainda oferecem adicional como moradia e alimentação. A residência começa em janeiro do ano que vem, com carga horária de 60 horas semanais. O lançamento contou com a presença do diretor de Educação Permanente em Saúde, Paulo Orsini; da coordenadora do programa, Cássia Rabetti; e de cerca de 20 representantes de secretarias municipais da Saúde.

O Programa de Residência Médica em Medicina de Família em Comunidade foi lançado no ano passado, sendo Secretaria de Estado da Saúde a pioneira no país ao lançar o programa. A primeira edição teve cerca de 30 candidatos inscritos e 11 alunos se matricularam. Atualmente conta com oito residentes espalhados pelos municípios de Balneário Piçarras, Balneário Camboriú, Garopaba e Santo Amaro da Imperatriz. “Fomos o primeiro Estado a assumir a formação desses médicos de família por meio da residência médica. Na primeira turma, em 2015, entraram oito residentes e agora, na segunda turma, estamos abrindo 64 vagas e esperamos preencher todas”, observou Orsini. 

O programa foi criado com o objetivo de contribuir para a formação de profissionais na atenção básica no Estado, por meio da qualificação da atividade médica formando especialistas em Medicina de Família e Comunidade. Configurado como pós-graduação, o curso está sob a responsabilidade da Diretoria de Educação Permanente em Saúde em parceria com a Escola de Saúde Pública do Estado e com os municípios que compõem a Rede de Integração de Ensino e Serviço. A coordenação do programa está a cargo da doutora Cássia Rabetti, cardiologista e médica de Família e Comunidade."É uma formação padrão ouro para os médicos que tenham interesse em trabalhar na atenção primária com qualidade. É um médico que trabalha com todos os ciclos de vida das pessoas, crianças, adultos, gestantes e idosos, e não trabalha especificamente com uma doença, ou seja, é uma medicina centrada na pessoa e nos problemas que ela traz. O programa oferece bolsa do Ministério da Saúde e tem uma contrapartida dos municípios de ajuda de custo”, acrescenta Cássia. 

O secretário da Saúde de Balneário Piçarras, Dorval Vieira de Oliveira, disse que busca ampliar as vagas para médicos da família por gostar muito da metodologia do programa de Residência Médica. “Já temos dois profissionais do primeiro programa de residência e estamos buscando mais quatro médicos. O programa é eficiente, eficaz, tem um custo-benefício viável e ainda disponibilizamos uma ajuda de custo de R$2 mil reais para cada profissional”, ressaltou o secretário.

Em Santa Catarina, os serviços de atenção básica cobrem 80,91% do território. Em 2015. o Estado foi avaliado como o de melhor atenção básica de saúde pelo programa para Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica (PMAQ). "Esta residência médica é um sonho e uma realidade. Alargar o leque de problemas que podem ser tratadas nos cuidados primários e melhorar a qualidade dos serviços é agora o grande desafio", destacou a coordenadora do programa.

Faça sua inscrição!