icone facebookTwitterInstagram

Notícias 2016

Florianópolis, 21 de dezembro de 2016

O balanço parcial divulgado nesta quarta-feira, dia 21, pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina aponta que foram confirmados 3.995 casos de dengue autóctones, ou seja, com transmissão dentro do estado, entre janeiro e 17 de dezembro deste ano. Em 2015, neste mesmo período, foram registrados 3.279 casos autóctones, representando um aumento de 18%. Desses, 2.441 (61,1%) foram confirmados no município de Pinhalzinho, no oeste catarinense. Além de Pinhalzinho, os outros sete municípios que apresentaram níveis de transmissão epidêmicos, todos na região Oeste, são: Serra Alta, Bom Jesus, Coronel Freitas, Descanso, Modelo, Chapecó e União do Oeste.

Em relação aos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre do chikungunya e do zika vírus, foram identificados 6.843 focos, em 137 municípios, de acordo com o Boletim Epidemiológico 35/2016, com dados até 17 de dezembro. Neste mesmo período, em 2015, tinham sido identificados 6.996 focos em 116 municípios. Em comparação ao boletim n° 34, divulgado há duas semanas, houve um aumento de 190 focos do mosquito, identificados em 39 municípios. “Esse crescimento reforça a importância da intensificação dos cuidados para eliminar depósitos com condições propícias para reprodução do Aedes aegypti especialmente neste período do ano, em que há calor e chuvas intensas”, alerta João Fuck, coordenador do programa de controle da dengue de Santa Catarina.

Santa Catarina em alerta

De acordo com o boletim epidemiológico, atualmente há 50 municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti: Anchieta, Balneário Camboriú, Bom Jesus, Caçador, Camboriú, Campo Erê, Catanduvas, Chapecó, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Coronel Martins, Cunha Porã, Descanso, Florianópolis, Guaraciaba, Guarujá do Sul, Itajaí, Itapema, Itapiranga, Ipuaçu, Joinville, Jupiá, Maravilha, Modelo, Nova Erechim, Nova Itaberaba, Novo Horizonte, Palma Sola, Palmitos, Passo de Torres, Pinhalzinho, Planalto Alegre, Princesa, Porto União, Quilombo, São Bernardino, São Carlos, São Domingos, São José, São José do Cedro, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Santo Amaro da Imperatriz, Saudades, Seara, Serra Alta, Sul Brasil, União do Oeste, Xanxerê e Xaxim. Em 27 deles há transmissão autóctone.

“Embora o maior número de municípios infestados pelo Aedes aegypti e com transmissão de dengue estejam localizados na região Oeste do estado, é fundamental que se mantenha a vigilância constante para a eliminação de potenciais criadouros do mosquito em todo o estado”, ressalta João Fuck.

Confira, na íntegra, o Boletim Epidemiológico 35/2016 em http://www.dive.sc.gov.br/index.php/arquivo-noticias/458-boletim-epidemiologico-n-35-2016-situacao-da-dengue-febre-do-chikungunya-e-zika-virus-em-santa-catarina-atualizado-em-17-12-2016-se-50-2016

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:


- Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
- Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
- Mantenha lixeiras tampadas;
- Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
- Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
- Mantenha ralos fechados e desentupidos;
- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
- Retire a água acumulada em lajes;
- Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
- Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
- Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue;
- Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
-Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento.

Mafra, 21 de dezembro de 2016

Na última terça-feira, 20, em Mafra, foi inaugurado o serviço de hemodinâmica e cardiologia intervencionista do Hospital São Vicente de Paulo. Estavam presentes o presidente do Hospital, Valdecir Valoja de Collo, o secretário de Estado de Saúde, João Paulo Kleinubing - representando na cerimônia o governador Raimundo Colombo, o secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Mafra, Abel Schroeder, e o Presidente da Confederação Nacional da Saúde, Tércio Egon Paulo Kasten, além de lideranças políticas, empresariais e da área da saúde de toda a região.

Florianópolis, 21 de dezembro de 2016

O número de acidentes por animais peçonhentos, provocados por serpentes, aranhas, escorpiões, lagartas, abelhas, águas-vivas e caravelas, cresce com a chegada do verão em Santa Catarina. Em 2015 foram registrados 9.354 acidentes em todo o Estado, e entre os meses de janeiro a novembro de 2016 um total de 6.703 acidentes já foram registrados.

Floriannópolis, 20 de dezembro de 2016

Com o objetivo de fortalecer o trabalho dos conselheiros de saúde dos municípios catarinenses, o Conselho Estadual de Saúde (CES), em parceria com a Diretoria de Educação Permanente em Saúde (DEPS) da Secretaria de Estado da Saúde (SES), promoveu dois encontros de “Educação Permanente para o Controle Social no SUS” nos dias 18/10 e 23/11.

Os conselheiros (as) do Estado de Santa Catariana e dos 31 municípios representados, tiveram a oportunidade de refletir acerca de questões como o aprofundamento de ideias ou correlação de forças; a fragilidade do acompanhamento do orçamento; e a  representação de sujeitos e atores nas esferas públicas de participação da saúde. Na avaliação dos conselheiros (as) os eventos foram positivos, mantendo a expectativa de ampliação de temas e de número de participantes para 2017.

Os encontros foram realizados por intermédio de um grupo de trabalho composto por gestores e trabalhadores da SES, em conjunto com conselheiros (as) da Comissão de Ciência e Tecnologia do CES, que balizou a oferta a partir da aplicação de um levantamento de necessidades em educação permanente para o Controle Social no SUS. 

alt

Foto: Divulgação

 

 

 

Florianópolis, 20 de dezembro de 2016

Ao longo de 2016, a Diretoria de Educação Permanente em Saúde (DEPS), por meio da Divisão de Ações com o Servidor e Divisão de Humanização e com o apoio da Política Nacional de Humanização (PNH/SAS/MS), promoveu oficinas de formação-intervenção em Educação Permanente e Humanização. Foram cinco encontros que contaram com a participação do Colegiado Estadual Gestor de Humanização da Atenção e Gestão do SUS e as áreas de Educação Permanente e Humanização dos serviços da rede própria da Secretaria de Estado da Saúde (SES).