icone facebookTwitterInstagram

Nesta quinta-feira, 6, estão sendo realizados atendimentos de fonoaudiologia no ambulatório do Hospital Materno Infantil Santa Catarina (Hmisc), em Criciúma, nos bebês nascidos na maternidade. Entre os exames, estão os testes da orelhinha e da linguinha. O ambulatório está cheio de pacientes e a demanda de atendimentos está cada vez maior, de acordo com o diretor Danilo Pavarine. Em fevereiro, 184 crianças nasceram na unidade; em março, 224; em abril, 239; e, em maio, 276.

Administrado pelo Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas) em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, o Hmisc atualmente conta com bateria completa de triagem auditiva para os recém-nascidos. O teste da orelhinha avalia a atividade das células ciliadas externas da cóclea, estrutura responsável pela audição. Além da parte periférica da audição (teste da orelhinha), avalia-se também a parte central. Os bebês expostos a fatores de risco são avaliados com o Bera/Peate (Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico), avaliação que permite descrever a velocidade de passagem do estímulo no nervo auditivo pelo tronco encefálico. “Desta forma, a identificação precoce de problemas auditivos fica completa”, observa Pavarine.

Já o Teste da Linguinha é um exame feito no bebê para identificar alterações no frênulo lingual, uma pequena membrana que fica embaixo da língua e a conecta com o assoalho da boca. “Essa avaliação serve para diagnosticar a língua presa, um problema que não prejudica apenas a fala, como também proporciona desmame precoce, dificuldade de ganho de peso e engasgos”, explica o diretor.

Partos

Além do aumento no número de nascimentos, o hospital vem incentivando as mães a realizarem partos normais. Em fevereiro foram feitas 86 (46,7%) cesarianas e 94 partos normais, além do nascimento de quatro gêmeos. Em março, as cesáreas responderam por 44,3% dos procedimentos e, em abril, por 44,6%. Já em maio, a quantidade de cesáreas foi equivalente a 39,1% de um total de 271 procedimentos, mais cinco gemelares. “As gestantes estão sendo orientadas a optar pelo parto normal”, explica Danilo Pavarine.

Independente do procedimento, todos os recém-nascidos passam pelos exames de fonoaudiologia no ambulatório do Hmisc. Os atendimentos são realizados semanalmente às segundas de manhã, terças à tarde e quintas o dia todo. Para esta quinta-feira (06) estão programados 44 atendimentos. Referência para nascimentos em Criciúma e região, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a capacidade do hospital é de 300 partos mensais.