icone facebookTwitterInstagram

Notícias 2014

Florianópolis, 17 de novembro de 2014.

A Secretaria de Estado da Saúde informa, a seguir, a situação das emergências dos hospitais Celso Ramos, Florianópolis, Regional de São José e Instituto de Cardiologia, nesta segunda-feira, 17 de novembro.

A emergência do Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, atendia 26 pessoas até o fim da manhã desta segunda-feira. A situação é de normalidade na unidade de saúde. Segundo informações da instituição, havia dois pacientes em estado grave. Nas últimas 24 horas, o Celso Ramos recebeu, na Emergência, 283 pessoas. Deste total de atendimentos, 121 casos são do setor de ortopedia que, em geral, envolve pessoas que sofreram acidentes de trânsito.

O Hospital Florianópolis estava atendendo, às 12h desta segunda-feira, sete pacientes; 53 pessoas aguardavam atendimento no saguão. Segundo informações da direção do hospital, três pacientes estão internados na emergência geral. A situação é de normalidade. Nas últimas 24 horas, o Hospital Florianópolis, que é referência em ortopedia, atendeu 34 pacientes na emergência ortopédica. Na emergência geral foram socorridas 103 pessoas, e no setor pediátrico foram atendidas 23 crianças nas últimas 24 horas.

O Instituto de Cardiologia, que atende, via Sistema Único de Saúde, a população com problemas cardiológicos, estava atendendo, até as 14h desta segunda-feira, 06 pacientes na Emergência. Havia uma pessoa aguardando consulta. Segundo informações da direção do Instituto, 57 pacientes estão internados na Emergência (07 no semi-intensivo; 01 pessoa na reanimação; 11 no repouso; e outros 31 pacientes na medicação). Até o início da tarde, havia 69 pessoas nas unidades de internação e outras 10 na ala coronária. Nas últimas 24h, o ICSC atendeu 21 pessoas na Emergência e fez 02 novas internações. Há um total de 129 pacientes internados no hospital.

No Hospital Regional de São José havia, na emergência geral, 76 pacientes internados até o início da tarde desta segunda-feira. A emergência está lotada. O atendimento é feito de acordo com a gravidade dos casos, a partir da classificação de risco que é feita com cada paciente que chega. Nas últimas 24 horas, de acordo com as informações da direção do Hospital Regional de São José, houve 213 atendimentos em emergência (envolvendo emergência geral, oftalmológica e obstétrica). Na emergência pediátrica, 123 crianças foram atendidas. O quadro geral do Hospital Regional de São José é de 264 pacientes internados.

No Hospital Regional de São José, cerca de 80% dos casos que chegam à Emergência são ambulatoriais, ou seja, são situações que podem ser resolvidas nos postos de saúde. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde orienta a população a primeiro procurar os centros de saúde dos seus municípios. Os postos de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão aptos a atender situações de urgência, que são aqueles em que a pessoa não corre riscos. São casos, por exemplo, de febre e dores generalizadas. Os casos mais graves serão encaminhados para os hospitais.

Florianópolis, 17 de novembro de 2014.

É cada vez maior a integração entre o Sistema de Telemedicina e os Serviços Especializados e Regulação de Santa Catarina. Exemplo disso é o telediagnóstico em dermatologia, que vem proporcionando agilidade no atendimento ao paciente, desde o agendamento da consulta até o laudo médico especializado. Desde a implantação do sistema, em outubro de 2013, até novembro deste ano, foram emitidos mais de 4,7 mil laudos.

Florianópolis, 14 de novembro de 2014.

A Secretaria de Estado da Saúde informa, a seguir, a situação das emergências dos hospitais Celso Ramos, Florianópolis e Instituto de Cardiologia, nesta sexta-feira, 14 de novembro.

A emergência do Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, atendia 24 pessoas até o fim da manhã desta sexta-feira. A situação é de normalidade na unidade de saúde. Segundo informações da instituição, havia dois pacientes em estado grave. Nas últimas 24 horas, o Celso Ramos recebeu, na Emergência, 279 pessoas. Deste total de atendimentos, 119 casos são do setor de ortopedia que, em geral, envolve pessoas que sofreram acidentes de trânsito.

O Hospital Florianópolis estava atendendo, às 12h desta sexta-feira, cinco pacientes; 22 pessoas aguardavam atendimento no saguão. Segundo informações da direção do hospital, dois pacientes estão internados na emergência geral. A situação é de normalidade. Nas últimas 24 horas, o Hospital Florianópolis, que é referência em ortopedia, atendeu 89 pacientes na emergência ortopédica. Na emergência geral foram socorridas 256 pessoas, e no setor pediátrico foram atendidas 90 crianças nas últimas 24 horas.

O Instituto de Cardiologia, que atende, via Sistema Único de Saúde, a população com problemas cardiológicos, estava atendendo, até as 14h desta sexta-feira, 05 pacientes na Emergência. Não havia pessoas aguardando consulta. Segundo informações da direção do Instituto, 49 pacientes estão internados na Emergência (07 no semi-intensivo; 02 pessoas na reanimação; 12 no repouso; e outros 28 pacientes na medicação). Até o início da tarde, havia 72 pessoas nas unidades de internação e outras 09 na ala coronária. Nas últimas 24h, o ICSC atendeu 37 pessoas na Emergência e fez 14 novas internações. Há um total de 130 pacientes internados no hospital.

Florianópolis, 14 de novembro de 2014.

A obesidade, já considerada uma epidemia mundial, é um dos principais fatores de risco para o diabetes, especialmente nas crianças. Esse é o motivo do alerta que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) faz neste Dia Mundial do Diabetes, 14 de novembro. Hoje, metade da população mundial é obesa ou está acima do peso. Entre as crianças e adolescentes, esse índice chega a 36%.

Araranguá, 13 de novembro de 2014.

Cerca de 90 agentes comunitárias de saúde do Município de Araranguá participaram, na tarde desta quinta-feira, 13, de uma capacitação sobre a dengue e chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti. A palestra, ministrada pela bióloga Sabrina Fernandes Cardoso, do setor de Vigilância Epidemiológica da 22ª Gerência Regional de Saúde (Gersa), foi realizada no auditório da Secretaria do Desenvolvimento Regional (SDR) de Araranguá.

Além de discorrer sobre a prevenção das contaminações, as formas de controle do vetor e como funciona o ciclo vital do inseto, a bióloga prestou esclarecimentos sobre como está a situação epidemiológica na Região Sul e em Santa Catarina. Somente no Município de Araranguá, cidade-pólo da Região do Extremo-Sul, há cinco focos do mosquito (forma larval), mas nenhum caso da doença. “A situação mais preocupante é no Município de Passo de Torres, onde, só no centro, há 15 focos. Por isso, é tão importante falarmos sobre prevenção”, afirma Sabrina.

O mosquito aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas; costuma picar nas primeiras horas da manhã e no final da tarde. Sabrina ressaltou que a prevenção é a única arma contra a dengue e a melhor forma de evitar a doença é combater os focos. Por isso, é importante não acumular água limpa em locais propícios para a criação do mosquito transmissor, tais como: latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras.