icone facebookTwitterInstagram

A Secretaria de Estado da Saúde informa que o resultado do exame laboratorial realizado em paciente morador de Brusque, descartou a possibilidade de contaminação com o novo coronavírus. 

O paciente foi diagnosticado com o vírus influenza tipo 1. Com isso, já são três os casos suspeitos no estado que foram descartados após exames laboratoriais. Apenas um caso segue como suspeito, de acordo com as informações oficiais divulgadas no site do Ministério da Saúde e atualizadas diariamente.

Como é definido um caso suspeito do coronavírus(nCoV-2019)?

Com a amplitude da região de risco, toda a China, pessoas vindas deste país nos últimos 14 dias e que apresentem febre e sintomas respiratórios podem ser considerados suspeitas.
Os casos suspeitos devem ser mantidos em isolamento enquanto houver sinais e sintomas clínicos. Casos descartados laboratorialmente, independente dos sintomas, podem ser retirados do isolamento.

Situação 1

Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 2

Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar) E histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 3

Febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar) E  contato próximo de caso confirmado de coronavírus em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

Como é feito o exame

Para avaliar se é um caso de coronavírus, o profissional de saúde deverá coletar duas amostras respiratórias. Orienta-se a coleta de aspirado de nasofaringe (ANF) ou swabs combinado (nasal/oral) ou também amostra de secreção respiratória inferior (escarro ou lavado traqueal ou lavado bronca alveolar).

As amostras devem ser encaminhadas com urgência para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para o exame de exclusão, em Florianópolis. De acordo com a diretora do Lacen, Marlei Pickler Debiasi dos Anjos, o estado de Santa Catarina é capacitado para detectar os vírus respiratórios como o Influenza.

“Pelo protocolo adotado pelas organizações de saúde, caso apresentemos resultados negativos para esses exames, as amostras seguem para os laboratórios de referência para realização de análise de metagenômica, que identificará ou não o novo coronavírus”, explica. “Se for identificado um caso mais simples, como por exemplo, Influenza 1, o caso é logo descartado”.

Os laboratórios de referência nacional são: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará.

Acesse o link e fique por dentro de todas as atualizações sobre os casos suspeitos no Brasil e no mundo: http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/#2019-nCov-brazil