icone facebookTwitterInstagram

Desde a inauguração da nova ala do Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (Hmisc), em 1º dezembro de 2018, em torno de 30% dos atendimentos realizados são de pacientes não residentes em Criciúma. Dos 5.815 atendimentos feitos nos últimos sete meses, 1.737 foram de pacientes de cidades vizinhas. Os dados constam do balanço de atividades produzido pela direção do hospital no final do mês de junho.

Com mais de 4 mil metros quadrados, a nova ala exigiu um investimento de cerca de R$ 6 milhões do Governo do Estado e da prefeitura de Criciúma. A estrutura abriga 70 novos leitos e possibilitou a reabertura da maternidade, com capacidade para 300 partos por mês, entre outros serviços.

O Estado também assumiu o custeio mensal do Hospital Santa Catarina, em gestão realizada em parceria com o Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas). A nova estrutura consolidou a unidade como referência em atendimento materno-infantil no Sul de Santa Catarina. Dos 70 novos leitos, 24 são da maternidade, seis na UTI Neonatal, um de isolamento da maternidade, 24 na clínica da mulher, um de isolamento na clínica da mulher, quatro de observação pós-anestésicos e 10 de cuidados intermediários.

Mais de 1,4 mil nascimentos

O primeiro bebê do novo HMISC nasceu no dia 17 de dezembro. Esther é filha de Daniele Vefago Soares e Odair Jose Peruchi, moradores de Criciúma. Já o milésimo bebê veio dos 30% que não são criciumenses no total de atendimentos do hospital. Laura, nascida no dia 9 de maio, é filha de Gabrieli dos Santos Zeferina e Dillan Agostinho Aguiar, residentes em Balneário Rincão. Hoje já são 1.451 nascimentos e 1.430 partos realizados no hospital, uma média de sete procedimentos por dia ou 220 mensais. A diferença entre nascimentos e partos ocorre em razão da ocorrência de gêmeos e trigêmeos nos nascimentos.

"Hoje, o HMISC é reconhecido pelo modelo de atendimento humanizado. A unidade é referência em atendimento de excelência para toda a região Sul, atendendo pacientes de SUS vindos dos 12 municípios integrantes da Associação de Municípios da Região Carbonífera (Amrec)", explica o diretor-geral Danilo Pavarine. A população estimada dos municípios da Amrec é em torno de 450 mil.